sábado, 2 de novembro de 2019

My 💜🦋🌼🍁

Nath's writings and poems

"I dont care who's right and wrong
The vastness of living has a magnificent bright
The wind has no owner
Life has no tide
The nature and the sun take no sides
So why would I?
Since in a pure intention, invisibly real you are
I can vividly say it's just you and I, love of mine" by Nathália G Mendler

*God is beautifully real*

Tradução livre:
"Eu não ligo pra quem está certo e errado
A vastidão do viver tem um brilho magnífico
O vento não tem dono
Nem a vida tendência
A natureza e o sol não escolhem lados
Então por que eu escolheria?
Já que em pura intenção, invisívelmente real é
Posso vividanente dizer que somos só eu e você, amor meu" por Nathália G Mendler

If you want to share these poems of mine, which I publish here in my page, please ask me first.
Se você quiser compartilhar esses poemas meus, os quais eu compartilho aqui na minha página, por favor me peça antes.

#Copyrights#
#Respeito ao direito autoral#

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Beleza... um pouco de inspiração e poesia 🦋

"Beleza não é estética
Beleza não é cabelo, roupa, pele
Se engana quem pensa que beleza é meramente externa
Beleza é intenção
É genuíno
São as palavras mais belas
É som e sorriso
Beleza é conhecer o divino
Porque a vida é tão mais ampla do que isso
E se eu te considero um ser lindo, é porque em você eu vejo vida,
e brilho" por Nathália G Mendler


🦋 Trilha sonora 🦋 :

Bach - Cello Suite No. 1 in G Major


Beethoven's 5 Secrets - OneRepublic - The Piano Guys

2CELLOS - Now We Are Free - Gladiator



Have a lovely day 🦋

terça-feira, 23 de julho de 2019

São Paulo está de “Portas Abertas” - meu aprendizado sobre vida e jornadas!

Olá lindíssimos!
Como vocês estão??

Lembram do último post, um tanto diferente...?! Então, hoje é igual kkkkkk


Como não estou mais na vida de au pair, não escrevo muito mais sobre isso... Mas como estou na comunicação, bora encher esse blog de posts de matérias! 🙈


No ano passado, através do curso de comunicação, participei da Semana Estado de Jornalismo, no jornal O Estado de São Paulo.

Primeiro, que honra! Cara, jornalistas incríveis e um ambiente TÃO aberto ao aprendizado.
Segundo, foi a maior correria da minha vida escrever essa matéria!

Foi uma semana intensa de palestras e tinhamos só aqueles dias para desenvolver uma matéria, nunca feita, original e criativa sobre o tema que iriam propor. E o tema foi "iniciativas de impacto social".

Não sei como (com benção dos Céus!) conheci um rapaz com uma incrível história e então tudo começou.
Conheci a incrível história dele e em dois dias busquei fontes de especialistas, escrevi, formatei e entreguei o produto final.

Dentre tantos aprendizados, acho que o melhor foi simplesmente conhecer a vida dele, a história, a jornada, e contar com o apoio de pessoas que fizeram ser possível em tão pouco tempo.

A experiência foi completamente incrível e segue aí a jornada dela 😍😄👏❤ >

********************

Outubro, 2018
São Paulo está de “Portas Abertas”

Projeto social realiza inclusão de refugiados e imigrantes na capital

Por Nathália Girardi Mendler

Como todos os refugiados que conheci, Eyad Dabour, de 45 anos, não
hesita em esbanjar simpatia. O palestino, que vive há cinco anos no Brasil com a
família, faz aulas de português pelo projeto social “Portas Abertas – Português
para Estrangeiros”, da Prefeitura de São Paulo, enquanto dribla os vestígios da
crise econômica que atingiu o país há alguns anos.

Eyad é formado em Engenharia de Computação pela Universidade Líbia
Omar Al-Mukhtar e atualmente trabalha como autônomo em serviços gerais na
capital paulista. Quando questionado sobre o motivo que os trouxe ao Brasil, ele
comenta “Foi a TV. Vi uma reportagem sobre a economia e natureza
maravilhosa do país e por isso escolhi o Brasil”. Eyad conhece há tempos o que
é ser imigrante. Nascido na Palestina, migrou para o Egito para fugir da guerra,
morou na Líbia, onde conquistou a nacionalidade local, e hoje reside no bairro
Vila Carrão, na Zona Leste de São Paulo, junto da esposa Wesam Shehada, de
44, e os cinco filhos Mohamed, de 15, Mai, de 13, Khaled, de 12, Youssef, de 5,
e Omar, de 3.

Juntos, Eyad e Wesam são alunos do projeto social “Portas Abertas”, que
tem como foco introduzir a língua portuguesa, cultura e legislação brasileira a
imigrantes e refugiados. O programa, que surgiu no início de 2017 através da
Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São Paulo em parceria com
a Secretaria Municipal de Direitos Humanos, apresenta uma resposta inclusiva à
demanda de pedidos de refúgio na metrópole, e conta com dez escolas-piloto da
rede pública para sediar os encontros. Dentre elas, está a Escola Municipal de
Ensino Fundamental José Maria Whitaker, localizada na Zona Sul, onde o casal
muçulmano frequenta às aulas, que são gratuitas e equipadas com material
didático próprio. Raimundo Mendes Pereira Magalhães, diretor da unidade,
destaca a importância da iniciativa como ferramenta de comunicação. “Projetos
como esse têm grande relevância social e são decisivos no processo de
enculturação dos imigrantes. O passo inicial para inserção deles em nossa
cultura é a língua”.

Eyad, que chegou ao Brasil sem falar português, está hoje na reta final
para obter o Certificado de Proficiência em Lingua Portuguesa para Estrangeiros
(Celpe-Bras). A prova, aplicada pelo Inep – Instituto Nacional de Estudos e
Pesquisas Nacionais Anísio Teixeira, tem validade nacional e internacional e
acontece duas vezes ao ano em datas pré-estabelecidas, como pontua Silvio
Pereira da Silva, professor responsável pelo polo de aplicação na Universidade Metodista de São Paulo, no Grande ABC. “A prova avalia a compreensão do
participante, de modo interativo, escrito e oral”, esclarece.

A iniciativa social “Portas Abertas – Português para Estrangeiros” já
recebeu cerca de 150 imigrantes desde a inauguração, sendo eles em sua
maioria venezuelanos, haitianos, árabes e africanos. O curso é dividido em três
semestres e, atualmente, cerca de 70 alunos são beneficiados com a ação e
podem desenvolver a comunicação até o nível avançado.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

RAMMSTEIN - O hiato chegou ao fim!

Olá belíssimos leitores do Brazuca!
Como estão?????


Hoje venho até vocês com um post um tanto diferente... uma resenha sobre o mais novo álbum da banda de rock alemã Rammstein 🙆🙋🙈

Tive acesso ao álbum exclusivo antes de ser lançado e trago a vocês os meus dizeres e emoções deste mais novo trabalho. O álbum foi lançado oficialmente na última sexta feira, 17 de maio, e foi sensacional poder ouvir ele antes de todos, com aquele ar de segredo 😮😍

Vocês viram que hoje eu tô cheia de emojis né?! 😄 então segue aí, divulga, comenta, e claro, curte o mais novo álbum do Rammstein! 💪👏👏❤


**************************

O hiato chegou ao fim! Rammstein volta com som Heavy digno de Higway

Por Nathália Girardi Mendler

Capa do mais novo álbum da banda Rammstein

Sim, sim, sim! A banda alemã Rammstein (díficil de pronunciar e boa de ouvir!), som mais aguardado do ano no mundo do Rock, está de volta. Invadi a sede da Universal Music Brasil e trouxe pra vocês os detalhes desse mega lançamento.

Incrivelmente cativante desde a primeira nota, o novo album de Rammstein auto entitulado ("Rammstein"), faz você querer dançar freneticamente (com um compasso quase que futurístico-psicodélico), bater-cabeça (com as faixas mais pesadas, heavy metal), e até, quem sabe, refletir sobre a vida (nas baladas mais lentas e melodiosas que fluem nos vocais em coral). É quase que uma ininterrupta trilha sonora para uma viagem em uma highway, ou melhor dizendo, uma auto estrada bem longa pra você repetir muitas e muitas vezes. Não vai nem importar se você não sabe uma palavra em alemão xD

A banda surgiu em 1994 em Berlim, composta por CHRISTOPH SCHNEIDER na bateria, FLAKE LORENZ no teclado, OLIVER RIEDEL no baixo, PAUL LANDERS e RICHARD Z. KRUSPE na guitarra, e TILL LINDEMANN nos vocais, e lançou o último trabalho de estúdio há 10 anos. Conhecidos por seus singles DU HAST, MEIN TEIL e AMERIKA, os caras são tão feras que conquistaram o mercado norte-americano como nenhuma outra banda alemã, vendendo mais de 20 milhões de discos na carreira artística. Dá uma olhada no conteúdo deles no Youtube, marcados por seus videos provocantes... chega a mais de 1,6 bilhão de visualizações!

Então, por favor, chega de enrolação, Nath! Bora conferir os detalhes, porque olha, valeu a espera.

O álbum de 11 faixas e 47 minutos, abre com DEUTSCHLAND, primeiro single lançado em 28 de março. É uma melodia dark psicodélica, que contagia conforme a presença bem marcada da guitarra vai crescendo, e fala da relação de amor e ódio dos integrantes para com a nação alemã. O vídeo, dirigido por Specter Berlin, vem para chocar e não é apenas um par de imagens, mas sim uma história a ser contada, característica presente nos vídeos da banda.




O segundo single e também segunda faixa RADIO, lançado em 26 de abril, é fortemente teatral e em preto e branco. Dirido por Jorn Heitmann, é aquele bom “bate-cabeça”, com uma bateria rápida e constante e teclado psicolégico. A sensação é de um “hino militar futurístico”, acompanhado dos vocais melodiosos, “susurrantes” e quase roucos de Till.


O que nos leva ao belo coro no início da terceira faixa, ZEIG DICH, algo um tanto angelical, contrastado com a guitarra bem mais presente e rápida ao estilo heavy metal. Seguido por AUSLANDER, quarta música de uma melodia inicial quase que eletrônica que dá espaço a vocais bastante claros e a presença marcada da bateria, deixando a guitarra presente mais nos refrões e finalizando com um ritmo mais lento. Com os ouvidos preparados para a quinta faixa, SEX, que como o nome sugere, é um tanto sexy. A música traz uma pegada fatal, com guitarra, baixo e vocais que crecem até o refrão, e que garantem um belo solo de guitarra.
PUPPE, sexta, é sem dúvida a que mais permite os vocais serem fortes e claros, em um ritmo mais lento, finalizando com teclado e trazendo a sensação de ser um sonho... Quem sabe?

WAS ICH LIEBE, a sétima, tem a presença da bateria bem marcada no início e a música flui em uma construção muito melodiosa. O que nos leva à composição que mais se diferencia em todo o álbum, oitava faixa DIAMANT, e particularmente minha favorita. Ela traz violão acústico, dedilhados, flauta, violãocelo, é mais curta e também mais lenta, e remete a uma música de “faroeste” com uma sensação de amplitude. Aquele bom momento de reflexão que mencionei no início. Calmaria que dá espaço para a bateria bem marcada na nona faixa WEIT WEG, seguida da décima e heavy TATTOO, com cordas, bateria e vocais mais pesados, e que ao mesmo tempo levam um “fundo com ar angelical”, presente em algumas faixas até aqui como podem ver.

O que nos leva à grande faixa onze, HALLOMANN, que encerra toda a jornada. De todas, esta é a que tem um tom mais sombrio e misterioso, quase como um “susurro vocal”. Segue lenta para o melhor solo de guitarra de todo o álbum, agudo e contínuo, e a finalização não só da faixa, mas do álbum, é um belo eco que desaparece no ar, como se as músicas vagassem misteriosamente após ouvidas.

Definitivamente o album é pra ouvir no último volume numa bela highway e em qualquer lugar, na verdade. Para os fãs, é um prato cheio. Para os amantes de música, é de virar fã.

Com o lançamento, Rammstein vai percorrer o mundo em um tour de 30 datas e 18 países, e já que eles são conhecidos pelos concertos grandiosos e sonzera ao vivo, já imaginou os shows desse novo trabalho?!

Então corre pro streaming, compra o albúm e se joga!